Como escolher a gleba ideal para trabalhar em seu projeto?

gleba ideal

Em um processo grande como o de um loteamento é fundamental que ocorra muito planejamento em todas as etapas existentes, por parte dos empreendedores.

Sabendo disso, tenha em mente que o início do projeto já exigirá uma atenção especial e muita pesquisa para escolher a gleba ideal para o seu projeto imobiliário.

Pontos importantes para a escolha de uma gleba

Não importa se você trabalha no setor há anos, ou tem a pretensão de entrar na área em breve, os pontos que vamos apresentar são válidos para ambos os perfis. Uma vez que a escolha do terreno que irá empreender é um dos passos mais importante e decisório do seu negócio, até mesmo no sucesso dele, quando você estiver na etapa de lançamento.

Veja as principais dicas importantes para a escolha da gleba:

1- Localização

A escolha de uma gleba ideal envolve questões importantes como:

  • Ela possui fácil acesso? Inclusive para quem vem de outras regiões?
  • Possui ampliação do sistema viário para implantação do loteamento?
  • Seu entorno dispõe de quais serviços?
  • Trabalhar nesse terreno atenderá a nova demanda de moradores que será criada? Ou é necessário prever no projeto de loteamento a área para implantação de serviços e comércios?

É importante também saber que tipo de loteamento, habitação e outros já existentes no entorno

Essas informações são imprescindíveis, já que influenciam diretamente no custo da obra e também servem para definir previamente se os lotes deverão ser comerciais ou alguma outra demanda mais específica.

2- Situação econômica e jurídica

Antes de adquirir um terreno, faça uma análise minuciosa da sua situação econômica e jurídica do mesmo;

Veja se os impostos relacionados a área estão pagos, como por exemplo IPTU ou ITR;

Em caso de dívidas em aberto, procure saber de que forma poderão ser negociadas com a prefeitura e se é possível incluir o pagamento desse débito na compra do terreno;

Inclua na sua pesquisa também a situação jurídica da área e dos proprietários. Verifique se não há pendências ou entraves como espólio, doações, desapropriações e outros. Em suma, não se esqueça de solicitar a matrícula da área registrada em cartório

Esses problemas  jurídicos geralmente são resolvidos, mas em alguns casos é necessário um tempo considerável até a solução, o que requer, em muitas vezes, a contratação um profissional da área jurídica para ajudar no caso.

3- Zoneamento – Ocupação de solo

É na prefeitura que você consegue informações importantes sobre a área a ser adquirida, o ideal é saber se ela é urbana ou rural, por exemplo. Dessa forma fica mais fácil também descobrir parâmetros definidos na legislação para zoneamento da área.

Definições como tamanho do lote, largura do sistema viário e outros impactam diretamente no desenvolvimento do produto e na análise da viabilidade econômica.

4- Zoneamento – Áreas rurais

Áreas rurais hoje são a grande maioria portadora dos terrenos, dessa forma para transformá-la em área urbana é necessário para desenvolver o projeto de loteamento.

Para esta mudança são necessários alguns documentos sendo necessário conhecê-los previamente já que o processo em si é demorado justamente por causa dessas documentações.

5- Demanda

Não esqueça de analisar a demanda de toda região próxima, leve em consideração não apenas o momento atual, mas pense em algo a médio e longo prazo como 2 ou 4 anos, por exemplo.

Pense também se haverá algo que movimente a região nos próximos meses, como implantação de alguma nova indústria ou universidade, por exemplo, coisas que atraem um grande volume de novas pessoas para a região.

Não se esqueça também de levantar questões como: A demanda será para um loteamento fechado ou aberto? Qual o tamanho do lote mínimo mais comum na região?

Conclusão

Veja quantas coisas são necessárias para escolher o terreno que deseja empreender. Portanto, não se esqueça de pesquisar sempre previamente todos os dados importante e, assim com tudo em mãos, ficará muito mais fácil seguir em frente com seu projeto.